Blogs e Colunistas

27/06/2014 às 22:29 - Atualizado em 08/08/2014 às 11:57

ALENCAR SANTANA
alencar.santana@diariodeguarulhos.com.br

Candidato oficial à reeleição pelo PT, o deputado estadual Alencar Santana enviou ao DG um texto de despedida de sua coluna semanal. Os outros candidatos também deixarão de escrever.

Dedico este espaço para informá-los de que, por eu ser candidato nas próximas eleições, há entendimentos jurídicos que nos impedem que continuemos com esta coluna.
Sendo assim, quero primeiramente agradecer a oportunidade dada por este veículo, sério e comprometido com a verdade, em nos propiciar este espaço. Agradeço também a atenção de todos vocês, leitores, que têm acompanhado nossos artigos. Tratamos aqui de diversos temas do cotidiano paulista. Creio que após esta etapa voltaremos ainda mais fortes para novos debates.
E, se o povo paulista permitir, estaremos com uma nova conjuntura no Estado de São Paulo que garantirá novos avanços que esperamos há anos.
Do mesmo modo no âmbito federal. Esperamos que seja dada continuidade às políticas de desenvolvimento social e econômico que alavancou nosso País nos últimos 12 anos.
Também aproveito para parabenizar o Brasil pela belíssima Copa que estamos realizando. Realmente, é a Copa das Copas.
Aqueles que diziam que seria o contrário, os pessimistas, agora veem que o Brasil tem, sim, potencial para sediar um evento de grande porte, e assim será em 2016, na Olimpíada.
Esperamos que o Brasil também saia vencedor dentro de campo e nos garanta o hexa. Até o término deste artigo ainda estamos na expectativa do primeiro jogo das oitavas de final entre Brasil e Chile, mas confiantes de que seremos vencedores e, na final, levantaremos a esperada taça.
Que em outubro assim também seja. Até logo.

Alencar Santana é deputado estadual pelo PT de Guarulhos.

23/06/2014 às 17:33 - Atualizado em 23/06/2014 às 17:33

ALENCAR SANTANA
alencar.santana@diariodeguarulhos.com.br

O Brasil vive uma grande disputa. Um jogo que definirá nosso futuro. Os jogadores estão preparados e a torcida está pronta para entrar em campo. Mas não é da Copa do Mundo que estamos falando. Esta terminará no dia 13 de julho. Tomara que nossa Seleção jogue o suficiente para fazer bonito e vencer.
A disputa que ocorrerá nos próximos meses é mais importante do que a Copa do Mundo, pois definirá nosso futuro pelos próximos anos. E nessa disputa quem decide somos nós, o povo. Através do voto, escolheremos os próximos governantes do País e dos estados.
E, se vamos escolher, então temos alternativas. É sinal de que algo está em jogo. Sim, está em jogo um modelo de Estado e de política pública.
O Brasil cresceu muito na última década, gerou emprego, oportunidades e garantiu inclusão social. É isso que está em disputa. Relembrando o passado, a década de 90, facilmente lembraremos o quanto era difícil para o jovem e o pai de família obterem uma vaga no mercado de trabalho, de avançarem socialmente e terem a chance de fazer uma faculdade.
A partir de 2003, começou a se construir um Brasil para todos, sem diferenças e sem exclusão social. Um Brasil que garantiu o Prouni, o Bolsa Família, o Minha Casa, Minha Vida, o Pronatec, a expansão das faculdades federais e o investimento em infraestrutura. Compare o Brasil de antes com o Brasil de hoje e observe sua vida se está melhor ou pior.
Nossa vida melhorou, estamos mais exigentes e, por isso, queremos mais. Esse mais passa não só pelo desenvolvimento econômico, mas principalmente pelo nosso desenvolvimento social e político.
O Brasil deseja, precisa e hoje está maduro para mudanças estruturais, como a reforma política. Toda e qualquer nova transformação do país dependerá de mudanças em nossas estruturas.
A democracia precisa ser radicalizada. Aliás, esse foi o desejo expresso nas manifestações de junho do ano passado. O que assiste razão à presidenta Dilma ao criar os conselhos populares. Assim também ocorre com a educação, que necessita de um avanço para que o Brasil alcance um novo patamar de cidadania.
E temos de admitir que a Presidenta Dilma e o governo do PT estão atentos a isso. Haja vista que parte dos recursos da riqueza do pré-sal serão destinados para a educação e que o Plano Nacional de Educação garantiu 10% do PIB para a área. Poucos países do mundo garantem isso hoje.
Portanto, temos de ter a clareza de que nessa partida a disputa será grande e que temos muito em jogo. E também temos de saber quais são os jogadores que se dispõem a nos liderar no próximo período e escolher com a consciência de sempre. Queremos mudar, mas para melhor, nunca para regredir.
A decisão é nossa.

Alencar Santana é deputado estadual pelo PT de Guarulhos.

17/06/2014 às 09:31 - Atualizado em 17/06/2014 às 09:31

Graças também à presidenta Dilma, que deu o pontapé inicial com o investimento de R$ 4,3 bilhões para o prolongamento do ramal até nossa cidade

ALENCAR SANTANA
alencar.santana@diariodeguarulhos.com.br

Depois de ser adiada no mês passado, está prevista para esta quarta-feira (18) a abertura das propostas das empresas interessadas em realizar a extensão da Linha 2–Verde até a cidade de Guarulhos, vindo da Vila Prudente. Parece um sonho distante, mas que, a cada dia, torna-se um pouco mais realidade.

Que os envelopes sejam abertos, os resultados desta licitação sejam anunciados e que as obras definitivamente se iniciem.
Já passou da hora de o metrô em Guarulhos deixar de ser um sonho e se tornar realidade.

Mas que todos estes processos, da licitação à finalização da obra, sejam feitos com a mais absoluta transparência e respeito ao dinheiro público, haja vistas as inúmeras denúncias de corrupção nas obras do Metrô e da CPTM envolvendo agentes públicos do Estado de São Paulo, em que foram desviados bilhões em dinheiro que poderiam ser empregados na ampliação da malha metroferroviária, que hoje vive um caos.

Na Assembleia Legislativa, conseguimos a criação da Frente Parlamentar “Guarulhos Quer Metrô”, que tem o objetivo de acompanhar de perto todo o desenvolvimento da obra, inclusive na fiscalização do uso do dinheiro público.

Tudo indica que agora vai. Graças ao empenho de todos os que lutaram para que este sonho saísse do papel.

Graças também à presidenta Dilma, que deu o pontapé inicial com o investimento de R$ 4,3 bilhões para o prolongamento do ramal até nossa cidade.

Há um ponto central muito importante na vinda do metrô para Guarulhos, que também deve ser discutido e defendido: o metrô tem de chegar até o centro da cidade.

Não basta simplesmente transpor a Via Dutra.

No projeto, estão previstas duas estações em Guarulhos, na Ponte Grande e na região do shopping.

É inquestionável o quanto seria apropriada uma estação no centro da cidade.

Além de atender muito mais pessoas, ainda impulsionará o desenvolvimento local.

Esperamos agora que o Governo do Estado cumpra com os prazos estabelecidos e que, em 2018, a população de Guarulhos possa de fato comemorar o sonho realizado.

Alencar Santana é deputado estadual pelo PT de Guarulhos.

09/06/2014 às 16:39 - Atualizado em 09/06/2014 às 16:41

“Mostraremos que o Brasil está preparado para receber grandes eventos”

ALENCAR SANTANA

alencar.santana@diariodeguarulhos.com.br

Depois de amanhã começa a Copa do Mundo.
E para nós, brasileiros, não se trata apenas de um evento esportivo.
O Brasil será o centro dos holofotes de praticamente toda a imprensa do planeta, com uma estimativa de mais de 3 bilhões de expectadores, de todos os continentes, caracterizando a maior audiência da história e, sem dúvida alguma, a maior exposição de mídia já conseguida por uma nação.
Teremos assim a oportunidade de mostrar ao mundo o quanto somos alegres, receptivos e, principalmente, o quanto estamos preparados para receber visitantes, turistas e grandes eventos.
Mas a Copa vai além do turismo.
Para sediar o torneio – e consequentemente as Olimpíadas de 2016 – estamos investindo pesado em infraestrutura.
Basta perceber o quanto o País, de Norte a Sul, se tornou um gigantesco canteiro de obras.
Adiantamos importantes investimentos de mobilidade, seja com os novos ou reformulados modais aeroportuários, seja com a construção ou ampliação de corredores de ônibus, linhas férreas, viadutos, rodovias e avenidas.
Através da sensibilidade da presidenta Dilma e de um grande empenho do Governo Federal, garantimos os recursos para grandes obras, como a extensão das linhas do metrô e da CPTM até Guarulhos, que por seus vultuosos tamanhos ficarão prontas ao longo dos próximos anos.
Tais obras, assim como muitas outras pelo País, certamente, foram catalisadas com a vinda da Copa do Mundo.
Ainda construímos importantes arenas – a maioria com recursos privados, ou através de empréstimos a serem pagos à União – capazes de colocar o Brasil não só no rol dos países com boas estruturas para jogos, shows e megaeventos, mas também para mudar a velha lógica de que estádio de futebol precisa ser um espaço cercado por grades, arames e fossos, constituindo um ambiente de instigação à violência, ao racismo, ao machismo e à homofobia.
O Brasil vem sendo, há tempos, um dos principais focos da atenção de muitos países, seja por sua economia em crescimento sustentável e com inclusão social, seja por sua capacidade de produzir alimentos e energia, ou seja por suas belezas naturais e diversidade.
Vamos, portanto, fazer uma grande Copa, mostrando ao mundo o quanto somos capazes e o quanto somos um grande País.
Um País de muitas riquezas mas, principalmente, de pessoas: 200 milhões de brasileiros e brasileiras, representados por nossa seleção, que defenderá nossas cores, dentro de campo, com amor e raça.

Alencar Santana é deputado estadual pelo PT de Guarulhos.

03/06/2014 às 10:46 - Atualizado em 03/06/2014 às 10:46

Não é justo que um cliente antigo pague mais por um serviço do que o cliente novo

ALENCAR SANTANA
alencar.santana@diariodeguarulhos.com.br

Na semana passada, tive a felicidade de ter mais uma lei de minha autoria aprovada na Assembleia. Essa com a finalidade de acabar com a enganação  dos fornecedores de serviços contínuos, como telefone, internet, TV por assinatura, que realizam promoções novas apenas a clientes novos, em detrimento do cliente antigo e fiel.

Pelo projeto de lei aprovado, os prestadores de serviços serão obrigados a estender automaticamente as novas promoções a todos os clientes, inclusive os antigos.

Ora, não é justo um cliente pagar a mais do que outro por serviço idêntico no mesmo período de tempo, ou pagar valor igual por serviços menos vantajoso do que o recebido pelo cliente novo. Um abuso.

Permitir que tal prática se perpetue significa permitir que as pessoas continuem sendo lesadas pelas empresas, que deveriam tratar com respeito seus clientes.

Não é de hoje que a relação entre os consumidores e fornecedores de serviços não vai bem, e a situação só piora na medida em que a procura e a demanda  aumentam.

O consumidor está farto de tanto sentimento de impotência perante práticas abusivas e desrespeitosas de empresas e prestadoras de serviços que veem seus clientes como simplesmente cifras a ser somadas ao lucro no fim do mês. Infelizmente, é algo muito comum que se repete diariamente em muitos setores do mercado.

O poder público tem papel fundamental na defesa dos consumidores. Pode e deve intervir para assegurar ainda mais direitos a eles, protegendo seus interesses quando as práticas correntes no mercado não os garantem.

Neste sentido, creio que esta lei, se sancionada pelo governador, trará muitos benefícios aos consumidores paulistas, clientes fieis, que se sentem injustiçados ao ver um cliente novo contratar o mesmo serviço mais barato, ou pagar o mesmo valor, mas com um serviço mais vantajoso.

O sentimento é de ter sido passado para trás. Quem nunca se sentiu assim?

Daí então somos vencidos pelo cansaço, não temos para quem recorrer e deixamos por isso mesmo.

Temos recebido muitas mensagens positivas sobre a nossa lei. Percebemos que as pessoas realmente se sentem injustiçadas com tais práticas, que atraem novos clientes menosprezando os antigos.

Esperamos que o governador cumpra seu papel de garantir direitos e sancione a lei. Com certeza será mais um ganho para a população do Estado de São Paulo.

Alencar Santana é deputado estadual pelo PT de Guarulhos.

20/05/2014 às 09:03 - Atualizado em 20/05/2014 às 09:03

Pois é, esse crescimento aconteceu porque mais brasileiros passaram a viajar de avião no Brasil, graças ao desenvolvimento econômico e social dos últimos anos 11 anos

ALENCAR SANTANA
alencar.santana@diariodeguarulhos.com.br

Quem diria, há uns 15 anos, que a demanda por mais aeroportos e a ampliação dos existentes seria algo necessário ao País em pouco tempo?

Pois é, esse crescimento aconteceu porque mais brasileiros passaram a viajar de avião no Brasil, graças ao desenvolvimento econômico e social dos últimos anos 11 anos, em que 42 milhões de pessoas passaram a fazer parte da classe média no Brasil.

Aumentamos de 33 milhões para 111 milhões o número de passageiros de avião ao ano, uma verdadeira democratização dos aeroportos!

Não à toa, tivemos um período difícil, apelidado pela mídia de “caos aéreo”, que nos fez refletir o quanto o Brasil cresceu e se desenvolveu na ultima década.

Não à toa também, e sim pelo grande momento que o País vivia e vive até hoje, fomos escolhidos para sediar a Copa do Mundo deste ano.

Esses foram dois enormes motivos para que o Brasil iniciasse um trabalho de ampliação e modernização dos aeroportos brasileiros.

Há investimentos sendo feitos nos aeroportos de todo o País.

Nesta terça-feira (20), a presidenta Dilma vem a Guarulhos para a inaugurar o terceiro terminal do maior aeroporto da América do Sul, em Cumbica, que, com a ampliação, terá sua capacidade de atendimento dobrada.

O que significa mais desenvolvimento, mais emprego e visibilidade para a cidade, que não para de crescer com ajuda do Governo Federal.

São demonstrações de compromisso e respeito pelo povo brasileiro e pelo que o País se propõe a fazer.

Além disto, o Governo Federal vai investir R$ 7,3 bilhões na construção, reforma e ampliação de 270 aeroportos regionais espalhados pelo País. E ainda pretende subsidiar passagens para garantir a expansão de aeroportos pequenos e fortalecer a democratização dos aeroportos.

São ações importantes de desenvolvimento como um todo, que vão bem além da Copa.

Queremos e vamos fazer um belo evento, e os aeroportos estão preparados para receber os turistas, mas são obras de infraestruturas pensadas também para a demanda do Brasil, que, como disse no início, deu um grande salto no crescimento e tende a crescer ainda mais.

Alencar Santana é deputado estadual pelo PT de Guarulhos.

13/05/2014 às 09:12 - Atualizado em 13/05/2014 às 09:12

Por que não se orgulhar? Por que querer que o pessimismo tome conta? Quando não tínhamos, queríamos…

ALENCAR SANTANA
alencar.santana@diariodeguarulhos.com.br

Daqui a um mês daremos início a um dos maiores eventos esportivos do mundo, a ser realizado no Brasil. Pela segunda vez, vamos sediar a Copa do Mundo.

Por que não se orgulhar? Por que querer que o pessimismo tome conta? Quando não tínhamos, queríamos. Quando conseguimos, a população brasileira vibrou com a notícia. Agora é chegada a hora e uma minoria tenta desmotivar a torcida, fazendo da Copa um objeto de disputa política e eleitoral, usando de informações sem fundamentos para mal informar a população, conforme se aproximam as eleições.

Desde 2007, quando foi definido que nosso País seria sede da Copa de 2014, o Brasil tem se empenhado para fazer um bom trabalho e organizar uma bela Copa aos olhos do mundo, dentro e fora do campo, planejando e executando de maneira transparente.

Além dos estádios, que estão sendo modernizados ou reconstruídos, sem dinheiro público, muito mais está sendo feito. Há investimento em infraestrutura em todas as regiões do País, ou seja, teremos, sim, um legado bastante significativo em infraestrutura e criação de emprego e renda, além, é claro, da promoção da imagem do Brasil para o mundo todo.

Mesmo que algumas obras de infraestrutura da Copa não fiquem todas prontas até a realização do evento, ainda assim teremos um legado para o uso do nosso povo.

Lembra-se de quando diziam que o Brasil sofria do problema de infraestrutura aeroportuária? Então a modernização e ampliação dos aeroportos também serão ótimas heranças.

Veja por exemplo o Aeroporto de Guarulhos, o maior da América do Sul, que já inaugurou seu terceiro terminal e dobrou sua capacidade de atendimento, compromisso este assumido pela presidenta Dilma com o objetivo de ajudar nossa população e receber os turistas para os jogos da Copa.

A estimativa é que a Copa agregue cerca de R$ 183 bilhões ao PIB do País e mobilize R$ 33 bilhões em investimento em infraestrutura, com destaque para a área de transporte e sistemas viários.

Aproximadamente 3,7 milhões de turistas, brasileiros e estrangeiros, deverão gerar, no período do evento, R$ 9,4 bilhões. Em todas as áreas, 700 mil empregos permanentes e temporários serão criados.

O futebol é a nossa paixão, e foi por isso que o ex-presidente Lula se esforçou, quando governava o Brasil, para que a Copa fosse aqui, apoiado pela maioria dos brasileiros e contrariando os elitistas preconceituosos, que diziam que um evento desse porte “é coisa de país rico” e o Brasil não deveria ser sede.

Chega de complexo de vira-lata! Hoje, o Brasil é um País com motivos para orgulho.

A vinda da Copa para o Brasil foi um reconhecimento também do grande momento que o País vivia e que ainda vive, uma nova imagem no cenário internacional. Estamos certos de que esta será a Copa das Copas e devemos estar orgulhosos de sediar e organizar este grande evento. Agora, é colocar nosso time em campo e torcer pelo Brasil.

06/05/2014 às 09:15 - Atualizado em 06/05/2014 às 13:42

Outros jogadores negros brasileiros e de outras nacionalidades também já foram hostilizados de maneiras parecidas durante partidas de futebol

ALENCAR SANTANA
alencar.santana@diariodeguarulhos.com.br

Uma cena que repercutiu muito na semana passada foi aquela em que o jogador brasileiro Daniel Alves, durante jogo do Campeonato Espanhol, come a banana atirada por um torcedor racista que tem a intenção de chamá-lo de macaco.

É lamentável que fatos como este ainda ocorram de maneira tão recorrente.

Outros jogadores negros brasileiros e de outras nacionalidades também já foram hostilizados de maneiras parecidas durante partidas de futebol.

Infelizmente, isso também acontece, e muito, aqui no Brasil, manifestado de diversas maneiras em nossa sociedade, seja de forma velada ou ostensiva, seja pela cor da pele ou classe social. Algo intolerável.

Todos temos de agir para acabar com a discriminação e o preconceito existente em nossa sociedade, e o poder público tem papel fundamental nesta luta.

Mas e quando o poder público é o primeiro que discrimina?

Vivemos num Estado que há mais de 20 anos é governado para o pobre de uma maneira e para o rico de outra. Pura discriminação.

O que não faltam são exemplos para elucidar.

Se focarmos somente na questão social, vamos ver um enorme choque de classes no Estado de São Paulo e mais discriminação.
As escolas estaduais são grandes exemplos do que estamos falando.

Em bairros nobres de São Paulo, são bonitas, limpas, seguras, enquanto que, em bairros periféricos, são feias, gradeadas, cercadas, parecem mais verdadeiras prisões e não um lugar agradável para o ensino, como deveriam ser.

O mesmo acontece no metrô. Estações e trens modernos, bonitos, só se veem no centro da cidade e na região da Paulista, enquanto na Zona Leste são precários.

As instalações de delegacias são a mesma coisa.

Enquanto que nas regiões afastadas da Capital possuem boas estruturas, na periferia são verdadeiras casas de horror.
É assim também com hospitais e outros equipamentos estaduais.

Não pode um gestor tratar um Estado de uma maneira tão discriminatória.

Como disse no início, o poder público tem papel fundamental na construção de uma sociedade justa e igual, mas para isso tem que fazer a sua parte.

Existem muitos Daniel Alves todos os dias enfrentando o descaso da administração do Estado de São Paulo e que se sentem igualmente discriminados.

Que esta realidade no Estado mude e que possamos celebrar, pois somos todos seres humanos.

29/04/2014 às 08:32 - Atualizado em 29/04/2014 às 08:32

“Também é preciso valorizar diversas categorias que, mesmo amparadas pela lei, ainda sofrem pela falta de reconhecimento”

ALENCAR SANTANA
alencar.santana@diariodeguarulhos.com.br

Este é um momento de reflexão sobre o importante papel de cada um na transformação do nosso país, assim como os avanços e as atuais condições de trabalho do brasileiro.

Nos últimos anos, a data passou a ter um significado ainda mais especial, graças à melhoria das condições econômicas e à política de inclusão do governo petista, iniciado pelo companheiro Lula e a que a presidenta Dilma dá continuidade, que permitiu ganhos acima da inflação e aumento do emprego formal no Brasil.

É claro que o trabalhador ainda tem muito a reivindicar. Exemplo é a redução da jornada de trabalho, de 44 para 40 horas semanais, uma pauta antiga e justa, que vem ao encontro da qualidade de vida do trabalhador e que está à frente das reivindicações das centrais sindicais, bem como o fim do Fator Previdenciário, combate ao PL da Terceirização e igualdade de oportunidades entre homens e mulheres.
Também é preciso valorizar diversas categorias que, mesmo amparadas pela lei, ainda sofrem pela falta de reconhecimento.

É preciso lembrar que ainda hoje há pessoas trabalhando em condições de escravidão. Por isso, chamo atenção também para a importância da aprovação da PEC do Trabalho Escravo, que trata das punições aos que praticam trabalho escravo no País. É inadmissível existirem pessoas trabalhando de maneira desumana, de escravidão, como ainda acontece principalmente no Mato Grosso, Maranhão, Goiás, Tocantins, Bahia e São Paulo, estados em que o número de pessoas que trabalham nessas condições são maiores.

Diante dessas dificuldades e reivindicações, vale relembrar a grande conquista que os trabalhadores e trabalhadoras domésticas obtiveram em 2013, a aprovação da PEC das Domésticas, uma vitória histórica.

Empregados domésticos, categoria que muitas vezes era colocada à margem das leis trabalhistas, passaram a ter seus direitos ampliados e reconhecidos, com 8 horas diárias, horário determinado de descanso, horas extras, entre outros, dando mais segurança e tempo livre ao trabalhador, que usa as horinhas vagas para o estudo.

Além disso, o crescimento do emprego com carteira assinada não para. Foram criados, só no mês passado, mais de 260 mil. A taxa de desemprego deste mês recuou 11,6% em relação a março de 2013.

Temos sim muito a comemorar. Veja a política que o Governo Federal estabeleceu com o salário mínimo, que levou a um aumento real de 72,35% em 11 anos e hoje garante ao trabalhador o maior poder de compra desde 1979.

Que possamos continuar avançando cada vez mais na busca pela melhoria da qualidade de vida e respeito aos trabalhadores brasileiros.

Parabéns a todos esses que, através da luta, vêm conquistando cada vez mais diretos, e que por meio de seus esforços contribuem para a construção um país cada vez melhor.

22/04/2014 às 08:22 - Atualizado em 22/04/2014 às 08:22

“Com a vinda desses novos profissionais, chega a 52 o número de médicos vindos por meio do programa para reforçar o atendimento na Atenção Básica”

ALENCAR SANTANA
alencar.santana@diariodeguarulhos.com.br

Primeiramente, quero dar as boas vindas aos 21 médicos cubanos que estão se somando ao quadro de médicos da cidade a partir desta terça (22), através do programa Mais Médicos, do Governo Federal, lançado pela presidenta Dilma Rousseff e o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, em setembro do ano passado.

Com a vinda desses novos profissionais, chega a 52 o número de médicos vindos por meio do programa para reforçar o atendimento na Atenção Básica e reduzir a demanda nos hospitais, ampliando a assistência nas Unidades Básicas para prevenir doenças e melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Não à toa, o Mais Médico tem sido muito aceito pelos brasileiros, em especial pelos que utilizam o sistema público de saúde e sentem na pele a necessidade de ampliar o atendimento, seja aumentando o número de médicos, melhorando a infraestrutura ou implantando mais faculdades de medicina, o que também prevê o programa.

Em Guarulhos, não é diferente. A população da cidade tem elogiado não somente a implantação do programa por parte do Governo Federal, em parceria com a Prefeitura, mas também a boa vontade com que se apresentam os estrangeiros.

No mês passado, a pesquisa Datafolha revelou o acerto e êxito do programa Mais Médicos. Do início do programa até o resultado desta pesquisa, cerca de 14 milhões de pessoas foram atendidas por médicos estrangeiros que trabalham no programa. Milhões que poderiam estar ainda nas filas se não fosse a medida.

E contrariando os preconceituosos de plantão, a pesquisa mostrou ainda que 69% dos brasileiros atendidos pelos médicos estrangeiros consideram que o atendimento foi ótimo ou bom e 27% acharam regular, ruim ou péssimo. Questionados sobre a vinda de profissionais estrangeiros para trabalhar em regiões remotas do país com falta desses profissionais, 67% manifestaram-se favoráveis à medida.

Ou seja, o Mais Médico agrada a maioria dos brasileiros e tem cumprido seu maior propósito, que é levar mais médicos para regiões onde há escassez e ausência de profissionais.

Que esses 21 novos médicos cubanos venham, sejam bem recebidos em nossa cidade e possam realizar seu trabalho pela saúde pública dos guarulhenses, assim como já vêm fazendo em Guarulhos e por todo o Brasil, e sem qualquer tipo de discriminação e preconceito.

ALENCAR SANTANA é deputado estadual pelo PT de Guarulhos.

Últimas notícias


27 de junho de 2014

23 de junho de 2014

17 de junho de 2014

9 de junho de 2014

3 de junho de 2014

20 de maio de 2014

13 de maio de 2014

6 de maio de 2014

29 de abril de 2014

22 de abril de 2014

    Siga o DG

© Diário de Guarulhos - Todos os direitos reservados